Frete Grátis para todo o Brasil

0

Seu carrinho está vazio

agosto 23, 2023 5 min ler

Resumo: Introdução:

A influência da postura na hérnia de disco é enorme, pois essa é uma patologia da coluna vertebral que acomete cerca de 40% das pessoas durante a vida. Antigamente, o pico de incidência estava entre os 50-60 anos, devido aos fatores de risco expostos ao longo da vida associada ao processo de envelhecimento. 

Hoje, cada vez mais pessoas jovens, especialmente na fase ativa da vida, estão obtendo o diagnóstico negativo. Outros fatores colaboram com essas estatísticas, como: sobrecarga de trabalho, esforços repetitivos, sedentarismo e má postura. Alignmed®Brasil: A camiseta postural com neuroband traz consigo benefícios como: melhora da ativação muscular, melhora da postura, melhora de fluxo sanguíneo. Sendo muito útil para pacientes com hérnia de disco, devido às alterações posturais apresentadas. Conclusão:Pode-se concluir que, o uso das camisetas posturais trazem alívio nas dores caudas pela hénia de disco, além de proporcionar uma melhor estabilidade postural para pacientes com hérnia, sendo assim, auxiliando no tratamento fisioterapêutico e diminuindo os sintomas álgicos apresentados pelos pacientes.

Palavras-chaves:Camiseta postural; Hérnia de disco; Alignmed.

Introdução:

Esta patologia tem maior predominância na coluna lombar, nos níveis de L4/5 e L5/S1, seguida das regiões da cervical e torácica. A hérnia discal é a maior causa de dor nas costas e o principal motivo de afastamento do trabalho, sendo a 3ª causa de aposentadoria por invalidez no Brasil.

Para que esta condição não surja ou ainda não traga maiores prejuízos ao indivíduo, a prevenção é fundamental com a prática de exercícios e a manutenção da boa postura.

A coluna vertebral compõe várias estruturas como ligamentos, cápsulas facetárias, músculos e várias outras moles que são inervadas e respondem a estímulos dolorosos.

 

Uma sobrecarga biomecânica, seja ela por movimentos repetitivos, excessivos ou a permanência em uma determinada postura que não seja adequada para aquela estrutura por um longo período, pode influenciar no surgimento da hérnia de disco.

 Formação da Hérnia de Disco

A perda da integridade do disco pode ser devido à doença, traumas, herniações, defeito da placa terminal ou também por motivos para o início de alterações degenerativas do disco, podendo favorecer a formação de hérnias.

A degeneração são alterações fibrosas progressivas do núcleo, perda da organização do anel fibroso e das placas terminais cartilaginosas. Quando o núcleo se torna mais fibrótico, ele perde a sua capacidade hidráulica, ocorrendo a diminuição do disco.

A formação da hérnia inicia-se com o surgimento de fissuras no anel fibroso, por onde o conteúdo gelatinoso do núcleo pulposo se infiltra, comprimindo as raízes nervosas espinhais de diferentes formas e graus.

O prolapso ou protrusão é quando o núcleo está contido nas camadas externas do anel e nas estruturas ligamentares de suporte. Quando o material nuclear se rompe através do anel externo e fica sob o ligamento longitudinal posterior, dá-se o nome de extrusão. 

O sequestro é quando o material do núcleo pulposo, após a extrusão, move-se longe da área prolatada.

O disco é aneural e, portanto, os sintomas de dor surgem devido a pressão do material da protrusão contra estruturas sensíveis à dor como raízes nervosas, ligamentos e vasos sanguíneos. A herniação pode ocorrer em quatro zonas do disco-central, póstero-lateral, foraminal ou extraforaminal.

Os sintomas variam dependendo do grau e da direção da protrusão e do nível vertebral, sendo as protrusões posteriores ou póstero-laterais mais comuns. 

Seu caráter é multifatorial, podendo destacar: herança genética, envelhecimento dos discos vertebrais, sedentarismo, tabagismo, excesso de peso, prática de movimentos incorretos e má postura na hérnia de disco, influenciando diretamente as dores presentes na região.

A ocorrência da espondilolistese é maior na coluna lombar, em especial entre as vertebras L5-S1, predispondo a lombalgia, sobretudo em crianças e adolescentes. Estudos epidemiológicos apontam que sua incidência está relacionada com idade, herança genética, gênero, raça e nível de atividade, manifestando-se frequentemente durante o crescimento entre os 8 e 20 anos. Tem o risco declinado na meia idade e um ligeiro aumento entre os 60 e 80 anos. atividades que requerem hiperextensão ou hiperflexão da coluna lombar aumentam o risco de espondilólise/listese. Embora essa condição muitas vezes se desenvolva cedo na adolescência, normalmente não é detectada até a idade adulta (ARAUJO et al; 2012).

- Traumática: São as fraturas agudas dos pares articulares e curam-se bem com imobilização.

-Patológica: Metástases e doença reumática são suas causas mais comuns. Outras patologias como tuberculose, doença de Paget, doença de Albers Schönberg, artrogripose e sífilis podem enfraquecer o tecido da vértebra e torná-la mais suscetível a danos. Assim como acontece na traumática, esses casos frequentemente acometem todo o segmento vertebral, não sendo um problema particular dos pares articulares.

Quais as influências da postura na Hérnia de Disco?

A boa postura é aquela que cada corpo consegue se organizar para que suas estruturas não sofram sobrecarga e, assim, tenha eficiência em seus movimentos e economize energia. Por essa razão, a melhor postura na hérnia de disco é aquela que não causa dores.

Quando a coluna vertebral sofre compressões axiais constantemente, comprometendo a integridade das estruturas, como ocorre em uma postura deficiente mantida por um longo período, pode causar danos e dores.

Dessa forma, a lesão ou degeneração do disco afeta a biomecânica da coluna em geral. Inicialmente há aumento da mobilidade do segmento maior do que o normal e a distribuição de força ao longo de todo o segmento é alterada, causando forças anormais nas facetas e estruturas de suporte.

  Tratamento

É importante que seja realizado trabalho específico, que envolva mobilidade, estabilidade, força e treinamento postural são essenciais para a manutenção da boa postura na hérnia de disco. Evite posturas permanentes por longos períodos e procure movimentar-se e mudar de posição por várias vezes ao longo do dia.

Desenvolver consciência sobre o próprio corpo é fundamental para a realização das atividades da vida diária: ao sentar-se, carregar cargas, agachar e outros movimentos que apesar de serem comuns, quando executados por alguém que não tenha uma consciência corporal adequada e ainda um bom suporte.

Assim, desenvolver todas as capacidades físicas como força, flexibilidade, equilíbrio, coordenação motora e resistência, além de economizar energia corporal, previne lesões e surgimentos de hérnias discais.

Alignmed®Brasil:

 As camisetas posturais possuem uma tecnologia conhecida como Neurobands, que constituem toda a camiseta, substituindo o kinesiotape, muito utilizado por fisioterapeutas na tentativa de alinhamento muscular e postural. A camiseta postural com neuroband traz consigo benefícios como: melhora da ativação muscular, melhora da propriocepção devido ao estímulo tátil gerado pela camiseta, melhora de fluxo sanguíneo em artéria braquial. Podendo ser útil em pacientes com hérnia de disco, devido às alterações posturais apresentadas.

Conclusão:

Os problemas na coluna vertebral e as hérnias discais podem ser evitadas em sua grande parte através de hábitos saudáveis e uma boa postura na hérnia de disco. 

Contudo, se o problema já estiver instalado, o acompanhamento por uma equipe multiprofissional é fundamental para equilibrar os fatores que podem ser de risco para o paciente que tem o diagnóstico de hérnia. 

Lembrando que dependendo do quadro clínico e cinesiológico, realizar exercícios e manter uma vida ativa é fundamental na reabilitação e prevenção das patologias da coluna vertebral.

 

Referências:

ALMEIDA, P. H. F.; BARANDALIZE, D.; RIBAS, D. I. R.; GALLON, D.; MACEDO, A. C. B.; GOMES, A. R. S. Alongamento muscular: suas implicações na performance e na prevenção de lesões. Fisioter Mov, Curitiba, v.22, n.3, p.335-343, 2009.

ANDERSSON, S.H.; BAHR, R.; CLARSEN, B.; MYKLEBUST, G. Prevention of excessive use of shoulder injuries among throwing athletes: a randomized controlled cluster trial of 660 elite handball players. Br J Sports Med, Oslo v.51 p 1073-1080, 2017.

ARAÚJO, D. S. M. S.; ARAÚJO, C. G. S. Aptidão física, saúde e qualidade de vida relacionada à saúde em adultos. Rev. Bras. Med. Esporte, Niterói, v. 6, n. 5, p. 194- 203, 2000.

✔️ Produto adicionado com sucesso.