Frete Grátis para todo o Brasil

0

Seu carrinho está vazio

janeiro 31, 2024 5 min ler

Resumo: Introdução:A dor cervical, também conhecida como dor no pescoço, é uma queixa comum entre pessoas sedentárias. Este texto explorará as causas, sintomas, prevenção e tratamento da dor cervical em pessoas sedentárias, destacando a importância da adoção de um estilo de vida mais ativo. O tratamento da dor cervical pode abranger uma abordagem multifacetada. Além de exercícios específicos para fortalecimento e flexibilidade, técnicas de relaxamento, como massagens e fisioterapia, podem ser benéficas. Em casos mais graves, o uso de medicamentos para aliviar a dor e a inflamação pode ser prescrito por profissionais de saúde. As camisetas posturais possuem uma tecnologia no qual consegue trazer estímulos proprioceptivos através das neurobands posicionadas na região posterior às camisas, trazendo consigo uma consequente melhora da postura, auxiliando na adoção de posturas ergonômicas. Pode-se utilizar durante os exercícios físicos, além de períodos longos de trabalho, melhorando a dor e prevenindo futuras deformidades relacionadas à má postura. Conclusão:A conscientização sobre a importância da atividade física e a adoção de medidas preventivas podem não apenas aliviar a dor existente, mas também promover uma vida mais saudável e equilibrada.

Palavras-chaves: Camisetas posturais; alinhadores posturais; exercício físico.

 

  1. Introdução

O número de pessoas com disfunção cervical vem aumentando marcadamente nos últimos anos. A prevalência de dor cervical entre os adultos pode variar de 12-34% de toda a população com aproximadamente 10-19% com queixa de dor persistente por mais de seis meses. Estima-se que 15% das mulheres e 10% dos homens tenham queixa de dor cervical em algum momento da vida. Este comprometimento, apesar de apresentar baixo índice de incapacidade, pode em alguns casos prejudicar as atividades diárias, influenciando negativamente a qualidade de vida (Reis; Mafra et al; 2010).

A dor cervical, também conhecida como dor no pescoço, é uma queixa comum entre pessoas sedentárias. A falta de atividade física regular pode contribuir para a deterioração da saúde musculoesquelética, levando a desconfortos e dores no pescoço. As disfunções musculoesqueléticas têm sido associadas com fatores de risco individuais e biomecânicos presentes no ambiente ocupacional. Essas disfunções desenvolvem-se gradualmente, apresentam um curso crônico e frequentemente permanecem sem tratamento. Embora muitos sintomas sejam associados às disfunções musculoesqueléticas relacionadas ao trabalho, um dos mais notáveis é a dor. Este texto explorará as causas, sintomas, prevenção e tratamento da dor cervical em pessoas sedentárias, destacando a importância da adoção de um estilo de vida mais ativo (Helenice; Moreira et al; 2009).

 

  1. Causas da dor cervical em pessoas sedentárias

 

A vida sedentária, caracterizada por longos períodos gasto sentado, falta de exercício e má postura, está associada ao desenvolvimento da dor cervical. A ausência de movimento regular compromete a força e a flexibilidade dos músculos do pescoço, levando a desequilíbrios musculares e pressão adicional sobre as articulações cervicais (Helenice; Moreira et al; 2009).

 

  1. Sintomas da dor cervical

Os sintomas da dor cervical podem variar de leves a graves e incluem rigidez no pescoço, dor ao movimentar a cabeça, dores de cabeça tensionais e, em casos mais extremos, formigamento ou dormência nos membros superiores. A intensidade da dor muitas vezes piora com a persistência do estilo de vida sedentário (Amaral; Rodrigues et al; 2019).

 

  1. Prevenção da dor cervical em pessoas sedentárias

 

A prevenção da dor cervical em pessoas sedentárias envolve a incorporação de hábitos saudáveis e ações conscientes. Iniciar um programa de exercícios que foque no fortalecimento dos músculos do pescoço e na melhoria da postura é essencial. Pausas regulares durante períodos prolongados de trabalho sedentário também são recomendadas para alongar e movimentar o pescoço (Amaral; Rodrigues et al; 2019).

 

  1. Tratamento da dor cervical

 

O tratamento da dor cervical pode abranger uma abordagem multifacetada. Além de exercícios específicos para fortalecimento e flexibilidade, técnicas de relaxamento, como massagens e fisioterapia, podem ser benéficas. Em casos mais graves, o uso de medicamentos para aliviar a dor e a inflamação pode ser prescrito por profissionais de saúde.

A associação entre exercício resistido e redução de sintomas pode ser explicada, pelo menos em parte, pelo fato de que contrações musculares fortes ativam os receptores de tensão do músculo, cujas aferências provocam a liberação de opioides endógenos os quais estimulam a liberação de endorfina pela glândula pituitária. Assim, acredita-se que o aumento dos níveis de endorfina ao final do treinamento levaria à redução tanto da dor central como da periférica (Helenice; Moreira et al; 2009).

Outra hipótese em relação ao papel de treinos pesados sobre o alívio dos sintomas dolorosos, estando relacionada ao fato de que os treinos de força e/ou resistência teriam papel na estimulação do crescimento dos capilares sanguíneos, o que otimizaria a oferta de oxigênio, a remoção de resíduos metabólicos algogênicos e promoveria a melhor nutrição do tecido muscular (Helenice; Moreira et al; 2009).

 

A dor cervical não apenas afeta o bem-estar físico, mas também pode ter impacto psicológico. Indivíduos que lidam com dor crônica podem experimentar estresse, ansiedade e até depressão devido às limitações impostas em suas atividades diárias. Portanto, a abordagem ao tratamento da dor cervical deve considerar tanto os aspectos físicos quanto os emocionais (Reis; Mafra et al; 2010).

 

  1. A importância da atividade física

 

A falta de atividade física é um fator de risco significativo para o desenvolvimento da dor cervical em pessoas sedentárias. A prática regular de exercícios não apenas fortalece os músculos do pescoço, mas também melhora a circulação sanguínea, reduzindo assim a rigidez e a inflamação. Atividades como natação, ioga e caminhadas são opções ideais para promover a saúde cervical (Reis; Mafra et al; 2010).

 

  1. Adoção de posturas ergonômicas e Camisetas posturais Alignmed®Brasil

 

Além do exercício, a adoção de posturas ergonômicas é crucial para prevenir a dor cervical. A utilização de cadeiras e mesas ajustáveis, posicionamento adequado do monitor e apoios lombares são práticas que ajudam a manter uma postura correta durante o trabalho sedentário, reduzindo a carga sobre o pescoço e a coluna vertebral.

            As camisetas posturais possuem uma tecnologia no qual consegue trazer estímulos proprioceptivos através das neurobands posicionadas na região posterior às camisas, trazendo consigo uma consequente melhora da postura, auxiliando na adoção de posturas ergonômicas. Pode-se utilizar durante os exercícios físicos, além de períodos longos de trabalho, melhorando a dor e prevenindo futuras deformidades relacionadas à má postura.

 

  1. Conclusão

A dor cervical em pessoas sedentárias é um problema comum, mas evitável. A incorporação de hábitos saudáveis, como exercícios regulares e posturas ergonômicas, assim como o uso das camisetas posturais da Alignmed®Brasil podem desempenhar um papel fundamental na prevenção e no tratamento dessa condição. A conscientização sobre a importância da atividade física e a adoção de medidas preventivas podem não apenas aliviar a dor existente, mas também promover uma vida mais saudável e equilibrada.

 

 

Referências Bibliográficas:

HELENICE J. C. G. COURY, ROBERTA F. C. MOREIRA, NATÁLIA B. DIAS; Efetividade do exercício físico em ambiente ocupacional para controle da dor cervical, lombar e do ombro: uma revisão sistemática Evaluation of the effectiveness of workplace exercise in controlling neck, shoulder and low back pain: a systematic review;Rev Bras Fisioter, São Carlos, v. 13, n. 6, p. 461-79, nov./dez. 2009.

RODRIGUES; Prevalência e fatores de risco associados à ocorrência de dor cervical e lombar inespecíficas em alunos de fisioterapia; 2019.

REIS, BRUNA MAFRA, DAIANE MAZZA; GISELLY MARCATO; MONIQUE RIBEIRO, THIAGO ABSALÃO; Avaliação dos distúrbios do controle sensório-motor em pessoas com dor cervical mecânica: uma revisão- Assessment of sensorimotor disturbance in mechanical neck pain: a review; Fisioter. Mov., Curitiba, v. 23, n. 4, p. 617-626, out./dez. 2010. 

 

 

✔️ Produto adicionado com sucesso.